Artigos


É Natal: e daí?


Segunda-feira, 31 de dezembro de 2018


Imagem | É Natal: e daí?

Para além de uma comemoração, o Natal possui sentido e significado muito abrangentes. Parece-nos necessário distinguir o Natal Cristão, festa de natureza espiritual, do natal pagão, regado, unicamente, a comida, bebida e troca de presentes. Longe de ser o evento da festa do aniversário de Jesus, Natal é um acontecimento inserido no que a teologia denomina ‘mistério da salvação’. Aqui, mistério não significa algo tenebroso, mas uma realidade infinitamente maior do que podemos alcançar ou compreender, que só pode ser experimentada á luz da fé.
 
No calendário da Igreja, Natal compreende um tempo litúrgico que contempla a noite e dia de Natal, a Festa da Sagrada Família, a solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus, solenidade da Epifânia ou manifestação de Jesus (popularmente conhecida como dia de Santos Reis) e conclui-se com a Festa do Batismo de Jesus. O principal objetivo deste período é celebrar o mistério da revelação de Deus que envia Seu filho para redimir a humanidade das forças do pecado e da morte. O Natal só adquire sentido à luz do mistério da paixão-morte-ressurreição de Jesus, ou seja, à luz da Páscoa.
 
A celebração do mistério da encarnação do Filho de Deus concede-nos a oportunidade de renascer com Ele, Nele e por Ele. A dinâmica deste precioso tempo inspira-nos a, a partir da realidade da vida, experimentar a ação amorosa de Deus em nosso favor. Cada novo Natal insere-nos na dinâmica desse amor, da qual destacamos cinco movimentos:
 
1. Inclinar: Deus, Todo poderoso, inclina-Se do alto dos céus em favor da humanidade;
 
2. Encarnar: Deus, em Jesus, assume a condição humana, exceto no pecado; habita entre nós, é o Emanuel;
 
3. Transformar: Deus, em Jesus Cristo, transforma-nos, por dentro e por fora, fazendo-nos renascer;
 
4. Iluminar: Deus, em Cristo, alcança as profundezas do nosso ser, preenche-nos com Sua luz;
 
5. Contagiar: Pela graça de Deus, em nome de Jesus, nossa alegria e esperança contagiam a todos que encontramos.
 
O mistério do Natal equipara-se ao mistério da vida humana. Inclinar, encarnar, transformar, iluminar e contagiar resumem o sentido da existência humana traduzida no contínuo recomeçar. É Natal: e daí? Se não nos abrimos á grandeza do real sentido e significado deste sublime acontecimento, perdemos, mais uma vez, a oportunidade de recomeçar, de ser e fazer diferente, de ser e fazer a diferença. Feliz Natal, todos os dias!  
       
 

Comentários



Sobre o Autor


Padre Ivanaldo Gonçalves de Mendonça

Pe. Ivanaldo e pós-graduado em Psicologia, pároco da Paróquia São José de Olímpia e Coordenador Diocesano de Pastoral. E-mail: ivanpsicol@hotmail.com

Artigos do Autor