Artigos


Circular de março de 2021 de Dom Milton


Segunda-feira, 15 de março de 2021


Imagem | Circular de março de 2021 de Dom Milton

Barretos, 15 de março de 2021
 
Circular 03/2021
 
Caros irmãos e irmãs,
 
Durante esta semana ocorre a solenidade de São José, Padroeiro da Igreja Católica. Neste ano, para todos nós, há um significado especial pelo fato de celebrarmos os 150 anos da proclamação do patrocínio de São José para toda a Igreja, pelo Papa Beato Pio IX.
 
Ao proclamar este ano dedicado a São José, o Papa Francisco, pela Carta Apostólica “Patris Corde”, convida toda a Igreja a recorrer a intercessão do santo que amou a Jesus “Com coração de Pai”, e com este mesmo coração ama a Igreja, herança do seu Filho. Com o mesmo coração ama a cada um de nós.
 
Muitos santos e santas testemunham a eficácia da oração a São José e do poder da sua intercessão. Os papas continuamente referem-se a ele como modelo, guardião e intercessor para toda a Igreja. Na ladainha dedicada a ele, o invocamos como “Modelo dos operários”, “Sustentáculo das famílias”, “Esperança dos doentes”, “Patrono dos que agonizam e morrem”, “Terror dos demônios”. Todas estas invocações manifestam o quanto São José nos é próximo e quanto podemos contar com a sua ajuda.
 
Em nossa diocese temos quatro paróquias dedicadas a São José (Colina, Severínia, Olímpia e Morro Agudo). Este número é significativo, pois demonstra o quanto a veneração a São José está enraizada na fé do nosso povo que encontra nele uma sombra paterna e um auxílio poderoso.
 
No dia 19 de março de 2016, o Papa Francisco assinou a Exortação Apostólica Pós-Sinodal “Amoris Laetitia” (A alegria do amor), que recolhe as conclusões do trabalho de duas assembleias do Sínodos dos Bispos (2014 e 2015). Para comemorar o quinto ano deste Documento, ele proclamou o “Ano da Família Amoris Laetitia”, como ocasião para fazer crescer o amor familiar.
 
Na manhã deste último domingo (14), o Papa dizia: “Convido a um renovado e criativo impulso pastoral para colocar a família no centro das atenções da Igreja e da sociedade. Rezo para que cada família possa sentir em sua própria casa a presença viva da Sagrada Família de Nazaré, para que ela possa preencher nossas pequenas comunidades domésticas com amor sincero e generoso, uma fonte de alegria mesmo em provações e dificuldades” (Ângelus, 14-3-2021).
 
Quando da publicação da “Amoris Laetitia”, Francisco disse que não se deve buscar nela respostas para todos os desafios, nem soluções pastorais prontas, pois “não existem receitas simples” (AL 298). Ele deixa claro que não quer romper com a tradição nem modificar a doutrina estabelecida sobre o matrimônio.
 
A premissa para compreender o que Francisco propõe no seu magistério sobre a família é o da misericórdia.  Para ele, “o caminho da Igreja, desde o Concílio de Jerusalém em diante, é sempre o de Jesus: o caminho da misericórdia e da integração, [...] derramar a misericórdia de Deus sobre todas as pessoas” (AL 296).
 
E é justamente partindo da misericórdia que o Papa, referindo-se ao acompanhamento e cuidado das famílias, destaca que a Igreja não pode tentar “impor normas pela força da autoridade” (AL 35); ela é “chamada a formar as consciências e não pretender substituí-las” (AL 37), a Igreja não pode “agir na defensiva, gastando energias pastorais e multiplicando os ataques ao mudo decadente, com pouca capacidade de propor e indicar caminhos de felicidade” (AL 38); enfim, Francisco quer despertar entre os leigos a missão de resgatar e fortalecer as famílias, e aos pastores o acompanhamento delas, desde a formação dos futuros padres (AL 202-204).
 
Durante este ano procurarei tratar nas circulares mensais do tema da família a partir do Documento Amoris Laetitia. O Setor Família da nossa diocese vai apresentar no decorrer do ano algumas iniciativas que permitirão que muitas possam redescobrir a alegria do amor e a beleza do matrimônio.
 
Poderemos contar também com a ajuda do padre Emerson Silva que tratou do tema da família no seu trabalho de mestrado em Roma. Agora, em nosso meio, poderá oferecer um pouco daquilo que conseguiu aprofundar nos seus estudos para que possamos, como Igreja, avançar no caminho já percorrido nestes últimos anos em favor das famílias.
 
À Sagrada Família de Nazaré quero confiar, juntamente com o Sucessor de Pedro, todas as famílias de nossa diocese, sobretudo, as mais pobres e aquelas atingidas pela pandemia, para que encontrem na graça de Deus a força divina para superarem seus dramas e suas dores.
 
Invoco por intercessão de São José a bênção de Deus sobre todos nós!
 
Dom Milton Kenan Junior
Bispo de Barretos
 
AGENDA EPISCOPAL - MARÇO 2021
 
10 - Reunião Bispos do Regional RP2, em São José do Rio Preto, às 15h
11 - Encontro com formandos religiosos na Cidade de Maria, às 15h
12 - Reunião do CDAE, na Cúria Diocesana, às 9h30
13 - Missa com crismas na Igreja Matriz S. Miguel Arcanjo em Miguelópolis, às 18h
17 - Reunião com Colégio de Consultores, na Cúria Diocesana, às 14h30
24 - Reunião Virtual com Assessores e Coordenadores da Pascom da Sub-região RP2
25 - Missa para entrega do Prêmio "Dom José de Matos", na Catedral, às 19h.
 

Comentários



Sobre o Autor


Dom Milton Kenan Junior

Dom Milton é o 6º bispo da Diocese de Barretos. E-mail: dommilton@diocesedebarretos.com.br

Artigos do Autor