Notícias


Entenda como as Pontifícias Obras Missionárias utilizam o dinheiro da Coleta da Campanha Missionária


Quarta-feira, 24 de abril de 2019


Foto | Entenda como as Pontifícias Obras Missionárias utilizam o dinheiro da Coleta da Campanha Missionária

O Mês Missionário tem sua origem no Dia Mundial das Missões (penúltimo domingo do mês de outubro, este ano, dia 21). A data foi instituída pelo Papa Pio XI em 1926, como um Dia de oração e ofertas em favor da evangelização dos povos. A inspiração vem do mandato de Jesus para anunciar a Boa Nova entre todas as nações. Além das ofertas, a Campanha Missionária nos convida a rezar e a refletir sobre a nossa missão no mundo.
 
As ofertas devem ser integralmente enviadas às Pontifícias Obras Missionárias (POM) que as repassam ao Fundo Universal de Solidariedade para apoiar projetos em todo o mundo. No mês de outubro, em especial no Dia Mundial das Missões, as comunidades e paróquias recebem dos cristãos as ofertas por meio da Coleta para as missões. Essas ofertas são enviadas para as dioceses que recolhem toda a arrecadação de suas comunidades e paróquias.
 
Até o final do ano ou no máximo até o mês de fevereiro, as dioceses repassam o valor total das ofertas para a direção nacional das Pontifícias Obras Missionárias (POM) em Brasília (DF). No mês de março, a direção nacional das POM comunica à Congregação para a Propagação da Fé, em Roma, o valor arrecadado. Reserva uma pequena parte para a animação missionária e para a administração nacional.
 
A direção nacional das POM repassa os valores para o Fundo Mundial de Caridade em Roma, e na Assembleia Geral, no mês de maio, avalia, aprova e destina os recursos para os Projetos nos cinco continentes. Os principais projetos são: Trabalhos de promoção humana, catequese e evangelização; Formação dos futuros sacerdotes e religiosos(as); Manutenção de missionários e igrejas em terras de missão; Meios de comunicação social e de transportes; Apoio e ajuda a centros de educação e saúde, casas de portadores de deficiências físicas; Construções de capelas, igrejas, seminários e hospitais; Casas para idosos, orfanatos, creches, centros de reeducação social e dependentes químicos; Subsídios de urgências em situações de desastres e calamidades públicas.
 
São centenas de projetos que beneficiam milhares de pessoas ligadas a instituições mantidas nos países mais pobres do mundo. Por fim, os destinatários prestam contas do uso do dinheiro recebido com documentos e testemunhos de gratidão.
 
 
Fonte: POM
 
 

Comentários