Notícias


Relações humanizadoras e solidárias na vida religiosa é tema de encontro do Núcleo de Barretos da Conferência dos Religiosos do Brasil


Segunda-feira, 25 de junho de 2018


Foto | Relações humanizadoras e solidárias na vida religiosa é tema de encontro do Núcleo de Barretos da Conferência dos Religiosos do Brasil

O núcleo de Barretos da CRB (Conferência dos Religiosos do Brasil) se reuniu no sábado, das 8h às 16h, na Casa das Servas de Santa Teresa do Menino Jesus, na Cidade de Maria em Barretos, para mais um encontro.
 
Marcou presença o coordenador da CRB no Regional Sul 1 (Estado de São Paulo) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), padre Rubens Pedro Cabral, omi.
 
O tema do evento foi "Relações humanizadoras e solidárias na vida religiosa". Além de desenvolver o tema, o sacerdote religioso apresentou dados da realidade da vida consagrada em todo o Estado de São Paulo.
 
 
Sobre o tema, o sacerdote religioso disse que a vida religiosa-consagrada se propõe a percorrer o caminho da santidade. “Se propõe a um caminho de vida de santidade, de conhecimento de Jesus, de valorização da nossa fé, feita de maneira comunitária somando as qualidades pessoais, as particulares de cada um e cada uma, mas também os seus limites, suas dificuldades. Tudo isso permeado pela graça de Deus”.
 
Segundo a animadora da CRB Barretos, irmã Lucelãine Ribeiro, pme, o evento foi um momento também de fraternidade e comunhão dos religiosos da Diocese de Barretos.
 
Na Igreja, chama-se vida religiosa ou vida consagrada o modo de viver de pessoas que deixaram suas vidas profissionais e familiares e seu próprio estado no mundo, na tentativa de abnegação de si mesmas na vivência de votos em restrito seguimento de Jesus Cristo. Os religiosos e religiosas, também são chamados por freis, freiras, frades, monge, monjas, irmãos e irmãs, vivem suas vidas consagradas à serviço da Igreja no trabalho de evangelização, intercessão, missão e promoção da dignidade humana.
 
 
Os religiosos fazem votos, e são três os mais comuns: pobreza, castidade e obediência.
 
Na Diocese de Barretos há nove congregações femininas e seis masculinas. Saiba quais clicando aqui.
 
Fotos: MIlton Figueiredo
 
 

Comentários