Notícias


Visão dos leigos sobre a importância da vida consagrada é tema de reunião do Núcleo Barretos da Conferência dos Religiosos do Brasil


Segunda-feira, 12 de março de 2018


Foto | Visão dos leigos sobre a importância da vida consagrada é tema de reunião do Núcleo Barretos da Conferência dos Religiosos do Brasil

Lincoln, da esquerda para a direita, junto aos religiosos
 
No sábado (10), o Núcleo Barretos da CRB (Conferência dos Religiosos do Brasil), promoveu um encontro na Cidade de Maria, em Barretos, com o tema “A importância da vida consagrada no contexto Eclesial e nas comunidades em tempos moderno a partir da visão dos leigos”.
 
Lincoln del Bianco, leigo atuante na Paróquia Catedral do Divino Espírito Santo e na Pastoral Familiar na diocese, foi o convidado da CRB para ministrar palestra sobre o tema. O encontro foi iniciado com a celebração da eucaristia presidida pelo bispo diocesano, Dom Milton Kenan Júnior, na capela da casa das Irmãs Pequenas Missionárias Eucarísticas. A missa contou com a presença de jovens da Paróquia Santo Antônio de Pádua que estavam em retiro na Cidade de Maria. Depois, a reunião teve continuidade na casa dos padres Oblatos de Cristo Sacerdote.
 
 
Segundo a coordenadora do núcleo da CRB – Barretos, irmã Lucelãine Ribeiro da Congregação das Pequenas Missionárias Eucarísticas, Lincoln, no início, ele fez uma colocação com todos os desafios que a sociedade hoje impõe como o individualismo, a ideologia de gênero, o uso dos meios de comunicação de maneira exacerbada, o aborto a violência presente no mundo, enfim, todas as questões em que a vida parece ou está ameaçada, e contextualizou a vida religiosa e consagrada em meio a todos esses problemas.
 
Em seguida, os participantes discutiram a exposição em grupos, bem como quais são os desafios da vida religiosa atualmente na sociedade, e como devem se comportar. Segui-se plenária para a exposição das reflexões.
 
 
“Chegamos a várias conclusões. Uma delas é de que nós temos muito com o que contribuir com a sociedade e com o mundo, sobretudo que nós podemos trabalhar e sermos testemunhas da cultura de paz e de fraternidade, dando testemunho da nossa fé e assim trabalhar para a construção de um mundo melhor, mas a partir da crença e do conhecimento da pessoa de Jesus Cristo. Nós religiosos estamos no mundo, mas precisamos ‘nadar contra a corrente, não aceitar os valores que a sociedade nos impõe sendo fiéis aos valores do Evangelho’”, explicou a religiosa.
 
Deste encontro participaram 45 pessoas representando as congregações religiosas presentes na diocese. O evento terminou com um almoço de confraternização.
 

Comentários