Artigos


Artigo do Pe. Ivanaldo: Ressuscita-me Senhor!


Domingo, 24 de abril de 2022


Imagem | Artigo do Pe. Ivanaldo: Ressuscita-me Senhor!

Toma posse de nossos corações a alegria pela celebração da nova Páscoa. O caminho proposto pela quaresma e pela celebração da Semana Santa tem como ápice o encontro com a verdade mais profunda da fé cristã: “Por que procurais entre os mortos aquele que está vivo? Ele não está aqui! Ressuscitou!” (Lucas 24,1-12)). Páscoa, mais que um dia específico, consiste na experiência contínua do encontro com o Cristo Vivo, encontro que restaura nossas vidas e caminhar, dando-nos condições de responder, saudavelmente, aos desafios de cada momento da história.
 
Ao celebrar a nova Páscoa fazemos memória do passado, celebramos o presente e lançamos luzes sobre o futuro. Rememoramos a primeira páscoa: entrega amorosa de Jesus pela salvação da humanidade, vitória sobre o pecado e a morte que reabriu, definitivamente, á toda a humanidade, as portas dos céus. Na Páscoa de hoje, atualizamos este mistério de amor, no qual somos restaurados e fortalecidos para perseverar no seguimento fiel de Jesus Cristo. Apontamos para o futuro, quando, desaguando no grande mar do amor de Deus, viveremos a Páscoa definitiva.
 
O movimento no qual a Páscoa nos insere é tão importante que merece, no calendário da Igreja, atenção especial. Ao longo de 50 dias, (do domingo pascal a solenidade de pentecostes), celebramos as alegrias pascais, rezando, refletindo e partilhando a verdade central de nossa fé, aprofundando a beleza e grandeza deste acontecimento transformador. Na Páscoa de cada dia e de todos os dias, cada vez mais, o Cristo Vivo é acolhido de forma consciente, livre e responsável por cada homem que, Cristificado. é enviado, como sinal da presença e do amor de Deus, a iluminar.
 
O significado da palavra Páscoa, que quer dizer ‘passagem’, desafia-nos a renascer e viver ‘por Cristo, com Cristo, em Cristo’. Para isso, faz-se necessário identificar as realidades que nos impedem de segui-Lo fielmente: pecado, morte e treva. Pecar é negar, consciente e livremente, o amor infinito de Deus que, entregou Seu Filho pela nossa salvação; morrer, para além da falência dos órgãos vitais, significa perder-se, para sempre, do amor de Deus; as trevas, correspondem às realidades que, com seus tantos nomes, inserem-nos na existência sem sentido, no vazio.
 
O sentido da nova Páscoa está em que, no hoje de nossa história, permitamo-nos ser ressuscitados por Cristo, para a vida nova, até que a ressurreição eterna nos abrace. Que Sua vida nos livre da morte de cada dia! Que Sua graça nos livre do pecado de cada dia! Que Sua luz nos livre das trevas de cada dia! Para além da compreensão intelectual, para a além de sentimentos, para além de comportamentos, Páscoa é experiência do encontro-reencontro permanente com o Senhor, cada vez mais vivo em nós e, no mundo, através de nós! Feliz Páscoa, todos os dias!
 

Comentários



Sobre o Autor


Padre Ivanaldo Gonçalves de Mendonça

Pe. Ivanaldo e pós-graduado em Psicologia, pároco da Paróquia São José de Olímpia e Coordenador Diocesano de Pastoral. E-mail: ivanpsicol@hotmail.com

Artigos do Autor