Artigos


Circular de maio de 2022 de Dom Milton


Quinta-feira, 12 de maio de 2022


Imagem | Circular de maio de 2022 de Dom Milton

Barretos, 12 de maio de 2022
 
Circular 04/2022
 
Prezados(as) irmãos (ãs)
 
Depois de tratar da família como lugar por excelência de transmissão dos verdadeiros valores humanos, de despertar para o que é bom, belo e verdadeiro, Francisco nos fala da importância que as famílias compreendam quão fundamental é para elas se tornarem verdadeiras “igrejas domésticas”, nas quais lhes também transmitam a beleza da fé, além do esforço de oferecer aos filhos e filhas condições para alcançarem a realização dos seus sonhos.
 
Quando consideramos a mudança de época que ocorre com a globalização, com o relativismo prático e a implantação das mídias sociais, damo-nos conta de que não se pode mais supor que nas famílias as novas gerações recebam a fé como no passado. Hoje, mais do que nunca, é preciso que compreendamos que não se trata da transmissão de uma doutrina, mas a comunicação de uma experiência, acompanhada de testemunhos luminosos que atraiam pela sua beleza.
 
Já o Papa São Paulo VI, em 1974, na Exortação Apostólica “A Evangelização no Mundo Contemporâneo” dizia da atração que exerce o testemunho, a ponto de despertar nas pessoas que convivem certas interrogações: “Por que é que eles são assim?  Por que é que eles vivem daquela maneira? O que é, ou quem é, que os inspira? Por que é que eles estão conosco?” (EN 21). E, mais adiante: “O homem contemporâneo escuta com melhor boa vontade as testemunhas do que os mestres, dizíamos ainda recentemente a um grupo de leigos, ou então se escuta os mestres, é porque eles são testemunhas” (EN 41).
 
Para que nossas famílias possam transmitir a fé, será necessário que estejam convencidas da importância do seu testemunho. Que os filhos vejam que os pais são os primeiros a confiar em Deus, a procurá-lo, a precisar Dele. Que eles compreendam a partir do exemplo de seus pais que rezar é bom, é importante; assim como pertencer a uma comunidade e engajar-se em alguma atividade evangelizadora.
 
Nesse sentido, o Papa nos diz da importância da escuta: “Precisamos nos exercitar na arte de escutar, que é mais do que ouvir. Escutar, na comunicação com o outro, é a capacidade do coração que torna possível a proximidade, sem a qual não existe um verdadeiro encontro espiritual” (EG 171). Somente num clima de testemunho e escuta é possível permitir que a Palavra de Deus prossiga seu caminho e penetre nos corações, gerando neles a fé.  
 
Lugar privilegiado em nossas comunidades, onde os pais podem realizar a missão de transmitir a fé, é a Catequese. Em nossas comunidades encontramos organizada a catequese como processo de Iniciação à Vida Cristã, cujo objetivo é levar nossos catequizandos ao encontro com Jesus Cristo na Palavra, na Liturgia e na Comunidade e, ao mesmo tempo, despertar neles o entusiasmo no anúncio de Jesus Cristo, por uma vida renovada pela sua graça.
 
Como seria valioso se os pais compreendessem a importância deles acompanharem de perto o itinerário catequético que seus filhos percorrem. A presença e o testemunho dos pais, que acompanham seus filhos no período da catequese são de um inestimável valor para que seus filhos entendam que a fé acolhida dá sentido à vida.
 
Concluindo os parágrafos destinados à transmissão da fé, o Papa diz: “A família constitui-se como protagonista da ação pastoral através do anúncio explícito do Evangelho e da herança  de múltiplas formas de testemunho: a solidariedade para com os pobres, a abertura à diversidade das pessoas, a preservação da criação, a solidariedade moral e material para com as demais famílias, principalmente para com as mais necessitadas, o esforço pela promoção do bem comum, também mediante a transformação das estruturas sociais injustas, a partir do espaço no qual ela vive, pondo em pratica as obras de misericórdia corporais e espirituais” (AL 290).
 
Caminhando para a conclusão do Ano da Família – Amoris Laetitia – quero com esta circular convidar as famílias para participarem do Encontro Diocesano que se realizará na Igreja Matriz de S. Luiz Gonzaga, na manhã do dia 26 de junho para celebrar, juntamente com o Papa Francisco em Roma, o Encontro Mundial das Famílias que terá como tema: “Amor em família: vocação e caminho de santidade”.
 
Que a Sagrada Família de Nazaré nos anime a vivermos nossa fé com entusiasmo no seio de nossas famílias e, assim, podermos transmiti-la aos que convivem conosco.
 
Dom Milton Kenan Júnior
Bispo Diocesano de Barretos
 
 
AGENDA EPISCOPAL - MAIO 2022
 
 05 – Reunião da Região Pastoral Guaíra
12 – Reunião da Região Pastoral Olímpia
17 – Reunião do Secretariado de Pastoral, na Cúria Diocesana, às 9h
18 - Seminário de Vida no Espírito, na Paróquia S. João Batista, às 20h
19 – Encontro do clero sobre “Padres pós-pandemia”
21 – Visita Pastoral na Paróquia Senhora Santana em Ipuã
23 a 25 – Romaria do Clero ao Santuário Nacional N. Sra. da Conceição Aparecida
26 – Reunião da Região Pastoral Barretos
28 – Visita Pastoral na Paróquia São Gabriel em Jaborandi
31 – Reunião do Conselho de Presbíteros, na Residência Episcopal, às 9h
 

Comentários



Sobre o Autor


Dom Milton Kenan Junior

Dom Milton é o 6º bispo da Diocese de Barretos. E-mail: dommilton@diocesedebarretos.com.br

Artigos do Autor