Artigos


Conhecer para amar


Segunda-feira, 04 de março de 2019


Imagem | Conhecer para amar

Com a devida certeza, se não todas, mas a maioria das pessoas já ouviram dizer a seguinte expressão: “Ninguém ama aquilo que não conhece”. De fato, ao observarmos esta expressão e a compararmos com as atitudes de nossa vida, sabemos que o maior problema existencial “são problemas relacionais”.
 
Perceberemos que a atitude de “conhecer” se faz fundamentalmente importante, pois a falta de conhecimento nos torna pessoas ignorantes, vazias e que, na maioria das vezes, agimos sob influências alheias e julgamentos que não passam de meras aparências.
 
Entretanto, sabemos que a busca pelo conhecimento exige de cada indivíduo atitudes de esforço e abertura para o novo, ou seja, exige muitas vezes o “desapego” dos costumes já pré-estabelecidos para a busca da real compreensão de certas atitudes, comportamentos, e até mesmo a “humildade” em aceitar que a verdade por si, carregada há muito tempo, mesmo que muito antiga, talvez não faça sentido na atual circunstância, e que talvez seja preciso procurar novas soluções que resolvam a atual realidade.
 
Na Palavra de Deus, no evangelho de São João, Jesus diz: “Se permanecerdes em minha palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos, e ‘conhecereis’ a verdade, e a verdade vos libertará” (Cf. Jo 8. 31-32). De fato, é possível compreender que a verdade, expressa por Jesus, passa pelo ato de conhecer, e deste modo, só a encontraremos quando nos dispusermos à busca pelo conhecimento através do “contato com a realidade das pessoas” e a entrega humilde e perseverante, tendo a consciência de que não somos donos da verdade e de todo conhecimento.
 
É preciso abrir-se aos fatos e aos acontecimentos diários e a cada novo dia superar e aprender com paciência e humildade aquilo que Deus tem para nos ensinar, por meio das pessoas, de nossos irmãos que estão caminhando ao nosso lado diariamente. Se assim for, colheremos muitos frutos de paciência, compreensão, misericórdia e tantas outras atitudes que geram amor.
 
Que o tempo da Quaresma nos ajude nesta caminhada. Sejamos misericordiosos como o Pai!
 
 
Imagem: Cinema na Floresta
 

Comentários



Sobre o Autor


Seminarista Daniel Canevarollo

Daniel cursa o 1º ano de Teologia em São José do Rio Preto. E-mail: danielcanevarollo@gmail.com

Artigos do Autor