Artigos


Frutos da oração


Terça-feira, 06 de agosto de 2019


Imagem | Frutos da oração

“Nossos pedidos não são para informar a Deus, mas para alargar o nosso coração mediante a fé e assim receber as graças que Ele nos quer dar” (Santo Agostinho). Ao refletir as palavras deste santo, é possível perceber que a nossa oração deve ser tida como uma atitude de fé e esperança que nos remete a lembrar que nós temos um Pai que intercede por nós, e este pai quer ouvir a nossa voz. A oração sincera nos traz a capacidade de acalmar o nosso coração, trazendo paz, tranquilidade e disposição para aceitar as realidades sem cair no desânimo.
 
No Evangelho Jesus diz: “Pedi e recebereis, procurai e achareis, batei e vos será aberto” (Cf. Lc 11, 9). Esta atitude que Jesus pede que nós o façamos é a atitude de confiança que faz com que nós expressemos aquilo que nós temos consciência diante de Deus. É um diálogo que se expressa através de nosso amor e gratidão, de nossa humildade em reconhecer que Deus é a nossa esperança, que Ele nos ouve e, sobretudo, não nos desampara.
 
Deste modo, é possível compreender que o carro-chefe dos nossos pedidos e orações é a confiança. Sabemos que Deus sabe de todas as coisas, mas através da oração nós encontramos a força necessária para agir conforme a vontade de Dele e não sob as nossas vontades humanas que, muitas vezes, são atitudes de vingança, mágica, prosperidade, facilidades etc.
 
Peçamos a Deus a capacidade de usufruirmos de uma oração sincera que busca a vontade Dele, assim como Jesus sempre nos ensinou. Sejamos firmes na fé!
 
Imagem: CNBB

Comentários



Sobre o Autor


Seminarista Daniel Canevarollo

Daniel cursa o 1º ano de Teologia em São José do Rio Preto. E-mail: danielcanevarollo@gmail.com

Artigos do Autor